“ (...) a associação sindical constituída pelos trabalhadores nele filiados, que exercem a sua actividade profissional exclusivamente correlacionada com o sector da aviação civil,
aeródromos, aeroportos e navegação aérea”. “ (...) exerce a sua actividade em todo o território nacional”.
dos Estatutos do SITAVA

SITAVA

Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos

 

1 2 345678

image

image

image

image

image

image

image

image

<< >> Play > Stop

Não ao Retrocesso Social

Boletim Igualdade

Indústria em Portugal

Dia da Mulher - 8 de Março - Desfile

A Mulher

A mulher não é só casa
mulher-loiça, mulher-cama
ela é também mulher-asa,
mulher-força, mulher-chama

E é preciso dizer
dessa antiga condição
a mulher soube trazer
a cabeça e o coração

Trouxe a fábrica ao seu lar
e ordenado à cozinha
e impôs a trabalhar
a razão que sempre tinha

Trabalho não só de parto
mas também de construção
para um filho crescer farto
para um filho crescer são

A posse vai-se acabar
no tempo da liberdade
o que importa é saber estar
juntos em pé de igualdade

Desde que as coisas se tornem
naquilo que a gente quer
é igual dizer meu homem
ou dizer minha mulher

Ary dos Santos

Ler mais...

 
Dia da Mulher: iniciativas SITAVA Porto

 

A Delegação do Porto SITAVA, numa iniciativa para assinalar o Dia Mundial da Mulher vai distribuir na Escala do Porto, flores e um postal alusivo à data.

 

Imagem de Mónica Mota

 
Pobreza Infantil Acima da Média da UE

1. As crianças em risco de pobreza e de exclusão social constituem 28,6% das pessoas com menos de 18 anos, segundo dados recentemente divulgados pelo Eurostat. Como a população com menos de 18 anos é de 1,9 milhões, temos que são abrangidas perto de 550 mil pessoas.

Portugal apresenta um valor claramente acima da média da UE e encontra-se no grupo dos países da zona euro onde assume valores mais elevados. Este indicador (pessoas em risco de pobreza ou de exclusão social) é usado pela Comissão Europeia no âmbito da aplicação da Estratégia Europa 2020.

Ler mais...

 
O país não aguenta por mais tempo a destruição de 1353 empregos por dia

 

No último trimestre de 2012 verificou-se uma aceleração rápida quer do desemprego quer da destruição de emprego, o que é um indicador claro da espiral recessiva em que o país já está mergulhado devido à politica recessiva violenta imposta pelo governo e “troika”. Se dividirmos o período de governo PSD/CDS e “troika” em dois subperíodos (1oTrm.2011/3oTrim.2012, e 4o Trim.2012), concluímos que se verificou no 4o Trimestre de 2012 uma aceleração brutal quer do desemprego quer da destruição de emprego. No período que vai do 1o Trim.2011 ao 3oTrim. 2012, a taxa de desemprego oficial aumentou, em média, 0,6 pontos percentuais por trimestre (desemprego real subiu 1 ponto percentual por trimestre), e a destruição de emprego atingiu, em média, 388 empregos por dia; mas no 4o Trimestre de 2012 a taxa de desemprego oficial aumentou 1,1 pontos percentuais apenas num único trimestre (a real subiu 1,6 pontos percentuais), e a destruição de emprego atingiu, em média, 1353 empregos por dia, ou seja, 3,5 mais do que o verificado no subperíodo anterior.

Ler mais...

 
MANIFESTAÇÃO NACIONAL – 16 DE FEVEREIRO

 

CONTRA O EMPOBRECIMENTO DO PAÍS

Os portugueses não podem suportar por mais tempo o programa e a política criminosa do actual Governo. O PSD e o CDS, sob orientação do FMI, estão a pôr em causa a soberania de Portugal e a encaminhar o país para um ponto irreversível no que diz respeito à manutenção de direitos dos trabalhadores, que se vêem com salários cada vez mais reduzidos, impostos cada vez maiores, empresas a fechar e nenhuma perspectiva de melhorar a conjuntura, seguindo as políticas actuais.

As manifestações do próximo Sábado, dia 16 de Fevereiro, revestem-se de especial importância, uma vez que estão integradas num conjunto de vários protestos que têm vindo a ser protagonizados por trabalhadores, desempregados, jovens, pensionistas e reformados, povo em geral, contra a intromissão da troika e a submissão de Passos Coelho.

Na aviação as medidas tomadas também são prejudiciais à economia: na ânsia de privatizar todas as empresas públicas com reconhecimento internacional, o Governo pretende entregar a ANA ao capital estrangeiro e continua a proclamar a venda da TAP, com as consequências devastadoras que abrangerão todo o sector.

Não comparecer na manifestação poderá dar a sensação de que o rumo desta política está certo e de que, por este caminho, poderemos sair da crise. Puro engano. O primeiro-ministro dirá que está tudo bem. Os números contradizem-no. O empobrecimento do País está em marcha.

É urgente acabar com este Governo. Antes que este Governo acabe connosco.

Ler mais...

 

 
<< Início < Anterior 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 Seguinte > Final >>

Página 68 de 77

Instante Sindical

Segurança e Saúde no Trabalho

Sítio dos Direitos

Guia de Direitos