“ (...) a associação sindical constituída pelos trabalhadores nele filiados, que exercem a sua actividade profissional exclusivamente correlacionada com o sector da aviação civil,
aeródromos, aeroportos e navegação aérea”. “ (...) exerce a sua actividade em todo o território nacional”.
dos Estatutos do SITAVA

SITAVA

Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos

 

1 2 345678

image

image

image

image

image

image

image

image

<< >> Play > Stop

Não ao Retrocesso Social

Boletim Igualdade

Indústria em Portugal

Num momento de regulação do sector a Portway segue o caminho inverso!

No passado dia 19 de Dezembro, informámos a Portway da publicação, a 24 de Novembro, da Portaria de Extensão do CCT SITAVA – AESH (361/2017), que é aplicável a todas as empresas que não têm contratação colectiva própria com o SITAVA (entre as quais se inclui a Portway).

No dia 28 do mesmo mês de Dezembro, recebemos a resposta da empresa, datada de 26 de Dezembro, onde era referido que estimavam que a implementação das disposições do CCT sucedesse “na sua total plenitude durante o mês de Fevereiro”.

Nesse momento, fizemos boa fé na palavra da empresa e aguardámos.

Em Janeiro, num primeiro sinal negativo, tal como demos conta no nosso último comunicado, a Portway em conjunto com os seus “amigos” signatários do AE, pediu a Portaria de Extensão do AE, tendo a referida Portaria excepcionado os nossos associados (que assim ficaram protegidos da total desregulação horária, cortes, congelamentos e outras arbitrariedades).

Ler mais…

 
Solidariedade com a Luta dos Tripulantes de Cabine da Ryanair

O SITAVA vem demonstrar a sua total solidariedade para com os trabalhadores da Ryanair, neste caso os tripulantes de cabine, organizados pelo SNPVAC, e congratula-se pelo sucesso da sua luta.

A aplicação de contratação colectiva na Ryanair é uma luta que o SITAVA conhece bem, pois também a tem desenvolvido nos últimos anos relativamente aos trabalhadores do handling, tendo chegado recentemente na DGERT a um acordo que levou à aplicação de contratação colectiva pela empresa, o que acontece pela primeira vez no nosso país.

A determinação e coragem demonstradas pelos tripulantes de cabine da Ryanair deve-nos servir de exemplo numa luta que é comum a todos os trabalhadores.

Ler mais…

 
TAP — Ainda a atualização salarial 2017

Foi já há mais de dois meses que se realizou a última reunião de negociações com a TAP, com vista a uma atualização minimamente justa dos salários e outras cláusulas de expressão pecuniária para o passado ano de 2017. Sim, não é erro – lamentavelmente, estamos ainda a falar da atualização salarial de 2017.

Não podemos, nesta altura, deixar de considerar no mínimo pouco respeitosa, a forma como a empresa trata os seus trabalhadores. Impor o arrastamento destes processos por longos meses, sem o mínimo respeito pelos compromissos assumidos, configura claramente uma enorme falta de respeito por aqueles que, apesar de todas as desconsiderações, continuam a garantir os prémios que a empresa tem recebido quase em catadupa.

Ler mais…

 
SPdH — Ponto da situação

PRÉMIO DE DISTRIBUIÇÃO DE LUCROS:

No nosso último comunicado, demos conta da proposta da empresa, relativamente ao Prémio de Distribuição de Lucros, que passava por excecionalmente, este ano, a componente da avaliação de desempenho fosse distribuída pelas outras componentes, não discriminando o valor a receber em função da avaliação. Por proposta da empresa tal solução só avançaria se todos os sindicatos estivessem de acordo.

Da parte do SITAVA, aceitámos a proposta por ser uma solução mais equitativa e, simultaneamente, mais rápida. Após a comunicação do Presidente Executivo, fica claro que, mais uma vez os trabalhadores vão sair prejudicados porque alguns pensam mais nas suas agendas pessoais, recusando o que seria muito mais vantajoso para todos (e mais ainda tendo presente a proposta formulada por esses mesmos, em que 746 trabalhadores seriam duplamente penalizados).

Ler mais…

 
Reunião com o CA das Lojas Francas de Portugal

O SITAVA reuniu com a Empresa no passado dia 9 (sexta-feira), tendo manifestado, de viva voz, o desagrado dos trabalhadores por tão limitada correção salarial.

Escudando-se na mudança de acionistas, a empresa não quer assumir a responsabilidade pelos constrangimentos do passado que, como todos sabemos, provocou uma compressão salarial que não se resolverá com atualizações deste nível.

A Empresa informou estar em estudo uma forma de remuneração variável através de um plano de incentivos em função das vendas, a iniciar no dia 1 de abril. Não estando nós em desacordo, reafirmamos que a parte da remuneração fixa terá de ser o garante da valorização do trabalho e a principal forma de compensar a penosidade, por vezes, imposta por horários noturnos completamente desregrados.

Ler mais…

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Página 5 de 77

Instante Sindical

Segurança e Saúde no Trabalho

Sítio dos Direitos

Guia de Direitos