“ (...) a associação sindical constituída pelos trabalhadores nele filiados, que exercem a sua actividade profissional exclusivamente correlacionada com o sector da aviação civil,
aeródromos, aeroportos e navegação aérea”. “ (...) exerce a sua actividade em todo o território nacional”.
dos Estatutos do SITAVA

SITAVA

Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos

 

1 2 345678

image

image

image

image

image

image

image

image

<< >> Play > Stop

Não ao Retrocesso Social

Boletim Igualdade

Indústria em Portugal

Reunião com o CA das Lojas Francas de Portugal

O SITAVA reuniu com a Empresa no passado dia 9 (sexta-feira), tendo manifestado, de viva voz, o desagrado dos trabalhadores por tão limitada correção salarial.

Escudando-se na mudança de acionistas, a empresa não quer assumir a responsabilidade pelos constrangimentos do passado que, como todos sabemos, provocou uma compressão salarial que não se resolverá com atualizações deste nível.

A Empresa informou estar em estudo uma forma de remuneração variável através de um plano de incentivos em função das vendas, a iniciar no dia 1 de abril. Não estando nós em desacordo, reafirmamos que a parte da remuneração fixa terá de ser o garante da valorização do trabalho e a principal forma de compensar a penosidade, por vezes, imposta por horários noturnos completamente desregrados.

Ler mais…

 
Segurança Aeroportuária — Ponto da Situação

Na sequência do processo negocial, o SITAVA propôs à AES (Associação de Empresas de Segurança), que a negociação passasse à fase de Arbitragem Voluntária.

No entanto, a AES respondeu, no passado dia 4, negativamente a essa proposta, alegando que, apesar de reconhecer a especificidade dos trabalhadores aeroportuários, não tem condições para ir mais longe do que aquilo que assinaram com outros “sindicatos”, uma vez que os contratos com a cliente ANA assim não permitem.

Vêm outra vez anunciar, sem nunca o demonstrar, que a proposta da Mediação, apresentada pela DGERT e que nós aceitámos, num enorme esforço negocial da nossa parte, importaria um “agravamento de custos superior a 45%”, relativamente ao que têm hoje, designadamente através do aumento pecuniário nas seguintes cláusulas: Carreiras, 18,3%; subsidio de turno 8,3%; feriados, 2,9%; definição de trabalho noturno, 2,2%; Trabalho suplementar, 1,9%; vencimento e subsidio de alimentação, 3,8%.

Ler mais…

 
Groundlink — Reunião 09/03

Tal como havíamos informado, a Groundlink promoveu uma reunião, em que estivemos presentes, com o objectivo de “discutir, em geral, o atual momento do sector do Handling em Portugal e, em particular, as relações laborais na Groundlink III Handling, Lda”.

Nessa reunião, a Groundlink assumiu o compromisso de enviar durante o próximo mês de Abril, uma proposta de Acordo Colectivo, tendo por base o actual CCT SITAVA – AESH, a fim de se iniciar o processo negocial.

Recordamos que enquanto o processo negocial do eventual Acordo de Empresa não estiver concluído, aplica-se o CCT, que está disponível para consulta dos trabalhadores no site do SITAVA.

Ler mais…

 
Ryanair — Reunião 07/03

Tal como havíamos informado, a Ryanair promoveu ontem uma reunião, em que estivemos presentes, com o objectivo de “discutir, em geral, o atual momento do sector do Handling em Portugal e, em particular nas relações laborais no sector do self-handling da Ryanair”.

Nessa reunião, foi afirmado pela Empresa, a necessidade de se iniciar, com a maior brevidade, a negociação de um Acordo de Empresa (AE).

Foi-nos, novamente, confirmada a aplicação do CCT (Contrato Colectivo de Trabalho) entre o SITAVA e AESH, já nos próximos “processamentos de vencimentos” do mês de Março.

Enquanto o processo negocial do eventual Acordo de Empresa não estiver concluído, aplica-se o CCT, que está disponível para consulta dos trabalhadores no site do SITAVA.

Ler mais…

 
Dia Internacional da Mulher

Comemora-se hoje o dia 8 de março, mais um dia internacional da mulher. Ao longo da história e por vezes com o sacrifício da própria vida, as mulheres têm sabido travar esta luta impondo ao mundo o reconhecimento pela sua causa que, em boa verdade, não é só das mulheres, mas sim de todos.

Com o advento da Revolução Industrial, na segunda metade do século XIX, as mulheres começaram a exercer uma atividade laboral remunerada, começando assim a tomar consciência do seu papel na sociedade. Lutando contra a discriminação, as mulheres encetaram heroicas e abnegadas lutas na Europa e nos EUA, que vieram a culminar com a consagração do dia 8 de março como o dia internacional da mulher, apenas reconhecido pelas Nações Unidas decorria já o ano de 1975.

Ler mais…

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

Página 3 de 74

Instante Sindical

Segurança e Saúde no Trabalho

Sítio dos Direitos

Guia de Direitos